Tupy de Braz de Pina tem novos diretor de harmonia e intérprete

Tupy de Braz de Pina apresentará equipe no sábado

A Tupy de Braz de Pina continua se reforçando para o Carnaval 2018. A azul e branco anunciou as contratações do diretor de harmonia Edson Costa e do intérprete Nélio. Os dois possuem muita experiência na folia e contribuirão para o sucesso da escola na disputa da Série D este ano.

Edson Costa afirmou que o desejo é de contribuir com a Tupy de Braz de Pina. “Estou chegando para somar e ajudar ao Tupy de Braz de Pina a fazer um excelente desfile na Intendente Magalhães.” Nélio tem pensamento semelhante. “Alô minha comunidade! Chegou a nossa hora e a nossa vez! Vamos todos irmanados num só objetivo: alcançarmos o degrau mais alto junto ao nosso pavilhão. Esse é o meu grito de guerra: Arrebenta Tupy de Braz de Pina, esse é o ritmo, vamos embora.”

O currículo de Edson Costa é longo. Ele foi diretor de bateria da Unidos de Lucas, de 1982 a 1992; diretor de harmonia da Unidos da Ponte, de 1992 a 1994; diretor de harmonia da Portela, de 1995 a 1996; diretor de harmonia da Acadêmicos do Grande Rio, de 1996 a 2004; diretor de gravação da Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro, de 2003 a 2012; coordenador de jurados dos desfiles da escolas de samba da cidade de Nova Iguaçu, de 2013 a 2015; e diretor de harmonia da Unidos das Vargens, em 2017.

Intérprete

Nélio começou a sua trajetória no mundo do samba como ritmista na União da Ilha do Governador, depois passou a ser compositor na Tupy de Braz de Pina, em 1983, onde ficou por um ano e, no ano seguinte, retornou à escola da Ilha como intérprete a convite do cantor Quinho.

O intérprete detalha sua carreira. “Permaneci na agremiação até 1989. De 1990 a 1992, passei pela São clemente; de 1993 a 1998, na Paraíso do Tuiuti; de 1995 a 1997, no Acadêmicos do Salgueiro; de 1999 a 2000, na Mocidade Alegre de Guaratinguetá; em 2001, fui para o Império da Perdição, em Minas Gerais; de 2002 a 2005, na Unidos da Ponte, onde conquistei o Estandarte de Ouro de melhor samba-enredo de 2007; depois voltei para o Acadêmicos do Salgueiro, em 2010, conquistando o título com o enredo Tambor; em 2011, fui para Santa Catarina, na escola de samba Unidos do Herval; quatro anos depois continuava em Santa Catarina, na escola Vale Samba, onde fiquei até 2016, fazendo Rio de Janeiro – Santa Catarina; em 2015, no Rio de Janeiro, fundei a escola de samba Nação Insulana, junto ao meu parceiro Cadinho, e fomos os intérpretes oficiais. No Tupy de Braz de Pina, o convite foi feito pelo Alexandre Valle, no estúdio onde eu estava gravando o samba da Nação Insulana.”

Curta facebook.com.br/revistacarnaval.
Siga twitter.com/revistacarnaval.
Acesse instagram.com/revistacarnaval.
Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*