20 de junho de 2024
DestaqueGrupo especialÚltimas notícias

As parcerias de Lucas Macedo e Claudio Mattos se destacaram em uma eliminatória na Viradouro para o Carnaval 2024.

Na eliminatória de samba-enredo para o Carnaval 2024 da Unidos do Viradouro, realizada no último sábado em sua quadra, sete parcerias se apresentaram. Uma delas será eliminada, e a divulgação das obras que continuam na competição será feita nas redes sociais da escola na próxima segunda-feira, às 18h. A próxima etapa do concurso está marcada para o sábado seguinte, em 16 de setembro.

A primeira apresentação da eliminatória foi da parceria de Igor Leal, Gustavo Clarão, Inácio Rios, Márcio André, Arlindinho Cruz, Diogo Nogueira, Igor Federal, Rubinho, Vaguinho e Vitor Lajas, com participações especiais de Márcio André Filho e Daniel Katar. Os intérpretes Evandro Malandro e Fredy Vianna demonstraram bom entrosamento. Apesar da quadra não estar muito lotada, a torcida se fez presente com bandeiras e bexigas, e houve uma performance com uma cobra de pelúcia, em referência ao enredo. O samba apresentou um padrão diferente do usual, mas foi bem executado e se encaixou bem com a bateria. O refrão do meio e o refrão principal foram os mais cantados, e algumas harmonias também aderiram ao samba.

A segunda parceria a se apresentar foi composta por Diego Thekking, Roberto Doria, Claudinho Manhães, Adilson Couto, Thyaguinho Reis, Silvio Henrique, André Couto, Dr. Diogo Valente, Thiago Dal Bello e Jandré. O intérprete Thiago Acácio defendeu a obra. Antes mesmo do início da apresentação, a torcida na quadra entoou alguns versos da música, principalmente “Vai começar o Inakidan da Viradouro”. No geral, a apresentação começou bem, com a torcida cantando com entusiasmo, mesmo sem a presença da bateria. No entanto, ao longo do tempo, houve uma queda de desempenho no samba, especialmente na segunda parte. Mesmo assim, algumas harmonias continuaram a cantar a música.

A terceira apresentação da noite foi da parceria de Claudio Mattos, Claudio Russo, Julio Alves, Thiago Meiners, Manolo, Anderson Lemos, Vinicius Xavier, Celino Dias, Bertolo e Marco Moreno. A equipe contou com os intérpretes Tinga e Pitty de Menezes, que conduziram o samba com maestria, demonstrando entrosamento e vigor no palco. A apresentação foi extremamente animada, com a torcida ocupando todo o espaço disponível, balões coloridos e bandeiras. Os componentes cantaram com alegria, e alguns versos foram entoados antes mesmo do início. A adesão na quadra foi unânime, incluindo harmonias, componentes, diretoria e pessoas nos camarotes, todos se envolveram com o samba, e a bateria também demonstrou entusiasmo. Destacou-se o pré-refrão que antecede o refrão principal, momento em que a quadra estava pulsando de energia.

A quarta apresentação foi da parceria de Renan Gêmeo, Raphael Richaid, Rodrigo Gêmeo, Bebeto Maneiro, Paulo Cesar Portugal, Marcelo Adnet, Bello, Silvio Mesquita, Carlinhos Viradouro e Ricardo Neves. Os intérpretes Gilsinho, Nino do Milênio e Daniel Silva desempenharam um papel fundamental, demonstrando muita energia e animando o público. No geral, a apresentação foi muito precisa, com o samba sendo executado com bastante energia, em grande parte devido à entusiasmada torcida que cantou com vigor. Bandeiras e papéis picados foram usados, e os participantes mostraram estar muito familiarizados com o samba. Muitas crianças estavam presentes e também se juntaram à cantoria. A adesão da comunidade foi moderada, com alguns membros das harmonias cantando e outros não.

A quinta parceria a se apresentar foi composta por Dudu Nobre, Samir Trindade, Victor Rangel, Deiny Leite, Valtinho Botafogo, Fabrício Sena, Felipe Sena e Jeferson Oliveira, com Igor Sorriso como intérprete. A torcida numerosa contribuiu para que o samba fosse apresentado com muita energia. A parceria utilizou papel picado, o que teve um impacto positivo na apresentação, pois os componentes se animavam facilmente. Além disso, a parceria trouxe um grupo fantasiado que formou uma grande cobra. No geral, a apresentação foi positiva, com destaque para o verso “Se me desafiar é guerra” presente no refrão, que foi cantado com entusiasmo não apenas pela torcida, mas também por grande parte da quadra.

O sexto samba da noite de eliminatória foi da parceria de Lucas Macedo, Diego Nicolau, Richard Valença, João Perigo, Cadu Cardoso, Marquinhos Paloma, Orlando, Ambrósio, Lico Monteiro e Silas Augusto. A presença de Zé Paulo Sierra como intérprete desse samba causou uma grande comoção na quadra, já que ele foi a voz oficial da Viradouro por muitos anos. Sua presença foi fundamental para o sucesso da apresentação. A torcida foi numerosa e cantou com entusiasmo, com total adesão na quadra, incluindo harmonias, ritmistas e diretoria. A apresentação foi cheia de energia do início ao fim e emocionou em alguns momentos.

A última apresentação da noite foi da parceria de Mocotó, Peralta, Alexandre Fernandes, André Quintanilha, Bira do Canto, Rodrigo Deja, Reinaldo Guimarães, Ronilson, Henrique Vianna e Luiz Mata, com a participação especial de André Diniz. Bruno Ribas e Emerson Dias foram os intérpretes e deram um show, fazendo com que o samba fosse apresentado com grande intensidade. A torcida já estava entoando os versos do samba antes mesmo do início da apresentação. O samba se destacou como um todo, e o público, incluindo harmonias, diretoria e ritmistas, aderiu completamente. A parceria usou leds coloridos e papel picado para criar um visual impactante, mas o ponto alto foi o canto uniforme e vigoroso de todos os presentes.